5

O que é TDAH?

Oi meninas, como já falei aqui pra vocês procuro acompanhar as meninas em tudo, assisto aos programas que elas gostam, acompanho os canais que a Júlia assiste no Youtube e claro leio os livros que ela lê. Essa semana resolvi ler um livro que chegou já tem alguns dias que ela ainda nem leu (ela está ocupada com a "Motic - Mostra de Tecnologia e Inovação com Ciências" que acontece em nossa cidade) com isso está sem muito tempo para a leitura, voltando ao assunto o livro é de uma Vlogueira que ela acompanha e eu estava um pouco curiosa para ler o livro e nele ela fala sobre TDAH então fui procurar conhecer um pouquinho mais sobre o assunto e achei legal falar dele aqui para vocês.



O que é o TDAH?


O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e freqüentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. Ele é chamado às vezes de DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção). Em inglês, também é chamado de ADD, ADHD ou de AD/HD.
Quais são os sintomas de TDAH? 

O TDAH se caracteriza por uma combinação de dois tipos de sintomas:


 1) Desatenção
 2) Hiperatividade-impulsividade

O TDAH na infância em geral se associa a dificuldades na escola e no relacionamento com demais crianças, pais e professores. As crianças são tidas como "avoadas", "vivendo no mundo da lua" e geralmente "estabanadas" e com "bicho carpinteiro" ou “ligados por um motor” (isto é, não param quietas por muito tempo). Os meninos tendem a ter mais sintomas de hiperatividade e impulsividade que as meninas, mas todos são desatentos. Crianças e adolescentes com TDAH podem apresentar mais problemas de comportamento, como por exemplo, dificuldades com regras e limites.
Em adultos, ocorrem problemas de desatenção para coisas do cotidiano e do trabalho, bem como com a memória (são muito esquecidos). São inquietos (parece que só relaxam dormindo), vivem mudando de uma coisa para outra e também são impulsivos ("colocam os carros na frente dos bois"). Eles têm dificuldade em avaliar seu próprio comportamento e quanto isto afeta os demais à sua volta. São freqüentemente considerados “egoístas”. Eles têm uma grande freqüência de outros problemas associados, tais como o uso de drogas e álcool, ansiedade e depressão.
Quais são as causas do TDAH?
Já existem inúmeros estudos em todo o mundo - inclusive no Brasil - demonstrando que a prevalência do TDAH é semelhante em diferentes regiões, o que indica que o transtorno não é secundário a fatores culturais (as práticas de determinada sociedade, etc.), o modo como os pais educam os filhos ou resultado de conflitos psicológicos.
Estudos científicos mostram que portadores de TDAH têm alterações na região frontal e as suas conexões com o resto do cérebro. A região frontal orbital é uma das mais desenvolvidas no ser humano em comparação com outras espécies animais e é responsável pela inibição do comportamento (isto é, controlar ou inibir comportamentos inadequados), pela capacidade de prestar atenção, memória, autocontrole, organização e planejamento.
O que parece estar alterado nesta região cerebral é o funcionamento de um sistema de substâncias químicas chamadas neurotransmissores (principalmente dopamina e noradrenalina), que passam informação entre as células nervosas (neurônios).
Existem causas que foram investigadas para estas alterações nos neurotransmissores da região frontal e suas conexões.
A) Hereditariedade:
Os genes parecem ser responsáveis não pelo transtorno em si, mas por uma predisposição ao TDAH. A participação de genes foi suspeitada, inicialmente, a partir de observações de que nas famílias de portadores de TDAH a presença de parentes também afetados com TDAH era mais freqüente do que nas famílias que não tinham crianças com TDAH. A prevalência da doença entre os parentes das crianças afetadas é cerca de 2 a 10 vezes mais do que na população em geral (isto é chamado de recorrência familial).
B) Substâncias ingeridas na gravidez:
Tem-se observado que a nicotina e o álcool quando ingeridos durante a gravidez podem causar alterações em algumas partes do cérebro do bebê, incluindo-se aí a região frontal orbital. Pesquisas indicam que mães alcoolistas têm mais chance de terem filhos com problemas de hiperatividade e desatenção. É importante lembrar que muitos destes estudos somente nos mostram uma associação entre estes fatores, mas não mostram uma relação de causa e efeito.

C) Sofrimento fetal:
Alguns estudos mostram que mulheres que tiveram problemas no parto que acabaram causando sofrimento fetal tinham mais chance de terem filhos com TDAH. A relação de causa não é clara. Talvez mães com TDAH sejam mais descuidadas e assim possam estar mais predispostas a problemas na gravidez e no parto. Ou seja, a carga genética que ela própria tem (e que passa ao filho) é que estaria influenciando a maior presença de problemas no parto.

D) Exposição a chumbo:
Crianças pequenas que sofreram intoxicação por chumbo podem apresentar sintomas semelhantes aos do TDAH. Entretanto, não há nenhuma necessidade de se realizar qualquer exame de sangue para medir o chumbo numa criança com TDAH, já que isto é raro e pode ser facilmente identificado pela história clínica.
E) Problemas Familiares:
Algumas teorias sugeriam que problemas familiares (alto grau de discórdia conjugal, baixa instrução da mãe, famílias com apenas um dos pais, funcionamento familiar caótico e famílias com nível socioeconômico mais baixo) poderiam ser a causa do TDAH nas crianças. Estudos recentes têm refutado esta idéia. As dificuldades familiares podem ser mais conseqüência do que causa do TDAH (na criança e mesmo nos pais).
Problemas familiares podem agravar um quadro de TDAH, mas não causá-lo.

F) Outras Causas
Outros fatores já foram aventados e posteriormente abandonados como causa de TDAH:
1. corante amarelo
2. aspartame
3. luz artificial
4. deficiência hormonal (principalmente da tireóide)
5. deficiências vitamínicas na dieta.
Como é o tratamento?
O Tratamento do TDAH deve ser multimodal, ou seja, uma combinação de medicamentos, orientação aos pais e professores, além de técnicas específicas que são ensinadas a quem tem o distúrbio. A medicação, na maioria dos casos, faz parte do tratamento. Também é importante saber escolher o profissional de psicologia. A área mais indicada é a psicoterapia, que trabalha com a Terapia Cognitiva Comportamental. Ainda é possível ter um tratamento acompanhado de um fonoaudiólogo, mas isso acontece em casos específicos.
Quem quiser saber mais sobre TDAH acessa o site da ABDA.
2

Receitas Harry Potter

Como eu já falei aqui, Harry Potter é um dos filmes preferidos aqui em casa, então hoje vim trazer para vocês algumas receitinhas bem legais que encontrei no Fanzone Potterish... espero que gostem!

Cérebro de melancia
Uma comida dos bruxos que você compra nos mercados dos trouxas.
Ingredientes:

1 melancia inteira

Modo de preparo:

1º passo: Usando um descascador de legumes, descasque a parte verde da melancia, deixando a parte interna, a casca branca.
2º passo: Tire o fundo da melancia, para evitar que ela role. Contorne a fissura ondulada com um palito de dente para imitar os sulcos de um cérebro.
3º passo: Usando uma faca com ponta, talhe os traços originais, de modo que o interior vermelho fique visível debaixo da casca.
Fácil né!

Varinha de alcaçuz
O melhor remédio para curar a tosse (principalmente a que foi causada por um feitiço).



Ingredientes:

500g de alcaçuz
½ litro de água
250 de goma arábica
150g de açúcar

Modo de preparo:

Dissolver o alcaçuz na água, adicionar a goma, o açúcar e levar ao fogo. Deixe cozinhar até a mistura adquirir a consistência de massa ou pasta, e coloque-a em fôrmas de varinhas e espere esfriar em uma superfície de mármore.

Suco de abóbora (versão mista)
O favorito dos banquetes em Hogwarts que agora você pode ter em casa!

Ingredientes:

2 xícaras de abóbora, cortada em pedaços.
2 xícaras de suco de maçã
½ xícara de suco de abacaxi
1 colher de chá de mel (mais ou menos ao seu gosto)
Canela, gengibre, noz-moscada e/ou pimenta da Jamaica (tudo moído, a gosto)

Modo de preparo:

1º passo: Esprema os pedaços de abóbora num pano ou use um juicer se você tiver.
2º passo: Coloque os sucos de abóbora, maçã e abacaxi em um liquidificador.
3º passo: Adicione o mel (nós recomendamos que começasse com 1 colher de chá, embora você possa adicionar mais depois!) aos sucos e bata com cuidado.
4º passo: Adicione suas especiarias (a gosto). Isso precisa ser experimentado pra ficar no ponto.
5º passo: Esfrie seu suco de abóbora ou sirva com gelo e delicie-se!

Suco de abóbora (versão pura)

Ingredientes:

1/2 abóbora moranga (a redonda, de casca rosada)
Água
Açúcar ou leite condensado para adoçar na hora de servir
Saquinhos pequenos (próprios para congelar)

Modo de preparo:

Descasque a abóbora, pique e cozinhe em panela grande com água até cobrir. Quando estiver macia, escorra, amasse com um garfo até formar um purê. Deixe esfriar e coloque porções pequenas de abóbora nos saquinhos (cerca de 2 colheres de sopa rasas para cada copo de água) e leve  ao congelador. Quando quiser fazer o suco, molhe o saquinho por fora, retire a polpa e bata com 1 copo de água no liquidificador ou mexa com uma colher até derreter a polpa concentrada. Se quiser coloque açúcar ou leite condensado na hora de bater.

Cerveja amanteigada
Aproveite as ideias e monte sua própria Dedos-de-Mel.

Receita Tradicional:

Ingredientes:

1 xícara (240 ml) de água tônica ou água tônica sabor baunilha
1/2 xíxara (120 ml) de xarope de *butterscotch (cobertura para sorvete)
1/2 colher de sopa de manteiga

Mode de preparo:

1° passo: Coloque o xarope e a manteiga em um copo que comporte 480 ml. Aqueça no microondas em temperatura alta de 1 a 1 minuto e meio, ou até que o xarope comece a borbulhar e a manteiga tenha se misturado completamente.
2° passo: Mexa e deixe esfriar por 30 segundos, então misture com a água tônica devagar. A mistura irá efervescer um pouquinho.
3° passo: Sirva em duas canecas de café ou em dois copos pequenos, uma delícia quentinha de Hogwarts, perfeita para dois!

Essa receita tem muitas variações que vocês podem conferir aqui.
O que vocês acharam? As meninas estão loucas para testar, quando fizermos mostramos para vocês.
18

Filme para assistir com os pequenos

Lendo algumas coisas sobre educação, eu li aqui algumas dicas de filmes para assistir com os pequenos, alguns deles eu e as meninas já olhamos diversas vezes e como não tem nada melhor do que assistir um bom filme ao lado de quem a gente ama, hoje vim trazer para vocês alguns dos nossos filmes preferidos para assistirmos juntas e reforçar ainda mais o nosso vinculo.

 1- Shrek (EUA, 2001), de Andrew Adamson e Vicky Jenson

Grande sucesso do estúdio DreamWorks, a saga Shrek - ainda há o Shrek 2 (2004) e o Shrek Para Sempre (2010), mas o primeiro é meu preferido - diverte igualmente crianças e adultos, por isso é uma ótima pedida para uma sessão em família. Parodiando contos de fada tradicionais, desconstrói a ideia da princesa passiva salva por um lindo príncipe: aqui, o amor nasce entre uma princesa um tanto quanto diferente, a Fiona, e um ogro nada principesco. Ajudados por amigos divertidíssimos, como o burrinho, eles encontrarão seu final feliz.

Mensagem: Ao "humanizar" as personagens dos contos tradicionais, Shrek mostra que é possível ser feliz na imperfeição: ninguém precisa ser príncipe ou princesa para encontrar o amor e a amizade. O velho clichê da beleza interior é trabalhado de forma engraçada e nada didática. Além disso, incentiva um olhar crítico a respeito da fórmula "encontraram-se, apaixonaram-se e foram felizes para sempre".



2- Up - Altas Aventuras (EUA, 2009), de Pete Docter e Bob Peterson

Amada por pequenos e grandinhos, essa linda animação da Pixar toca em um assunto considerado proibitivo para crianças - o luto - de maneira sensível e muito sutil. Após perder a sua mulher, o septuagenário Carl decide colocar em prática um sonho que havia prometido a ela: conhecer o Paraíso das Cachoeiras, na Venezuela. Muntz, um jovem explorador com a carreira abalada, o pássaro Kevin e o cão Dug viverão essa aventura com ele. "A presença dos pais, no caso desse filme, é garantia de que a criança se sentirá acolhida nas cenas mais tocantes", acredita a psicóloga Luísa Gonçalves. 

Mensagem: Ao perder alguém, é natural ficarmos tristes, mas a dor passa e o que fica é a saudade. Além disso, nunca é tarde para realizar um sonho e, com a ajuda de amigos, essa realização fica melhor ainda.


3- Trilogia Toy Story (EUA, 1995-2010), diversos diretores

Essa é de aquecer o coração. Os brinquedos de Andy têm de enfrentar os ciúmes dos novos integrantes da turma (no primeiro filme), salvar o cowboy e líder da trupe, o Woody (segundo), e se acostumar à ideia de uma nova vida (terceiro). Um raro caso de trilogia em que as três partes são igualmente ótimas, Toy Story aborda de maneira divertida assuntos sérios, como perda, mudança, maus tratos, entre outros. 

Mensagem: A união faz a força! Ou, talvez: um por todos e todos por um! Com seus laços de amizade consolidados, os brinquedos sempre descobrem maneiras de se ajudar e de superar, juntos, situações difíceis. 


4- Saga Harry Potter (Inglaterra/EUA, 2001-2011), diversos diretores

Há quem tenha crescido junto com Harry Potter e seus amigos: do início do Ensino Fundamental II, quando Harry chega à fantástica escola de bruxos Hogwarts, à sua formatura e luta final contra o mal. Adaptações dos livros de J.K. Rowling, os filmes de alta qualidade técnica, repletos de aventura, são um prato cheio para as crianças maiorzinhas, a partir de cerca de 8 anos de idade. Os pais também não têm do que reclamar - aliás, é capaz de ficarem mais viciados que os filhos! confesso que eu adoro, está entre os preferidos aqui de casa, já fizemos até maratona para assistir todos em um dia, as meninas não cansam de assistir.

Mensagem: "A lealdade e a importância de trabalhar em grupo são dois elementos fortes da saga Harry Potter", observa a psicóloga Luísa Gonçalves sobre duas das muitas habilidades não-cognitivas demonstradas pelo bruxinho e seus amigos na luta contra os fantasmas de sua adolescência - externos e internos. "Até mesmo a consciência política pode ser incentivada por meio dos livros ou dos filmes", enfatiza. 


5- Valente (EUA, 2012), de Mark Andrews e Brenda Chapman

Nas Terras Altas da Escócia, a princesa Merida desafia as tradições ancestrais de seu povo com sua grande habilidade como arqueira e recusa em se casar. Suas atitudes, porém, acabam resultando em uma maldição que coloca em risco a vida de sua mãe. Com muita coragem e determinação, ela reverte esse quadro. 

Mensagem: Do cabelo rebelde de Merida, bem diferente dos penteados perfeitos de outras princesas, ao final feliz entre mãe e filha (nada de príncipes salvadores por aqui), Valente foge de clichês e atualiza a figura da personagem feminina de contos de fada, mostrando-a como uma personalidade forte e capaz de se superar. "Mostra a coragem que se deve ter para quebrar uma tradição", sintetiza a psicóloga Luísa Gonçalves. 

6- Meu Malvado Favorito 1 e 2 (EUA, 2010-2013), de Pierre Coffin e Chris Renaud

O queridinho da Sofia Gru, um vilão em decadência, tem a ideia de adotar três garotinhas - a mais nova, Agnes, é uma das personagens mais fofas da história do cinema! - para que o ajudem em um plano malvado. A convivência com elas, porém, o transforma em uma boa pessoa e, assim, ele muda de lado e passa a ser o herói da história. Tudo isso com a ajuda (ou as trapalhadas) dos seus Minions, as criaturinhas amarelas que tanto fazem sucesso entre as crianças. 

Mensagem: Assim como Gru, todo mundo tem um lado bom, que pode ou não ser despertado pelo amor e pela amizade. Além disso, amamos aqueles com quem convivemos e que nos fazem bem - não é necessário ter laço sanguíneo, e nem ser da mesma espécie (de que espécie são os Minions?!).


Malévola (EUA, 2014), de Robert Stromberg

A história da bruxa Malévola, aquela que jogou o feitiço sobre a princesa Aurora em A Bela Adormecida, clássico da Disney de 1959. Protagonizado pela estrela Angelina Jolie e por efeitos especiais de última geração, o filme tem batalhas, momentos mágicos e uma heroína ambígua, ora carrasco, ora vítima. 

Mensagem: Se uma pessoa age mal, é bem possível que ela tenha um motivo para isso - mesmo que seja algo ocorrido há muito tempo. "Malévola conta o outro lado da história, o que, por si só, é uma mensagem interessante para as crianças", diz a psicóloga Luísa Gonçalves.


Esses são apenas alguns dos nossos preferidos mas ainda tem muitos outros que assistimos aqui como; Operação Big Hero, Cinderela, Monstros S.A, A Princesa e o Sapo entre outros...
E ai, quais são seus filmes preferidos? O que gostam de assistir com os pequenos?
Contem para nós aqui nos comentários! 
2

Inspiração para quarto infantil

Estava com a Sofia olhando alguns lindos quartos infantis e ela quis muito que eu compartilhasse com vocês, então vou mostrar os que ela mais gostou...
Meninas










Meninos









Tem muita coisa legal, esperam que tenham gostado!


2

Meu orgulho

Hoje vim dividir com vocês o quanto estou orgulhosa da Júlia, ela passou todo o dia de ontem e a manhã de hoje na escola participando de uma feira pedagógica com um trabalho sobre a influencia da mídia na sociedade e conseguiu se classificar para a próxima fase que pode garantir uma vaga na mostratec que para ela é muito importante, eu e a Sofia fomos lá prestigiar a feira e dar o nosso apoio.

A tarde ela está participando da 2ª fase da OBMEP , isso me deixa muito orgulhosa com a dedicação dela aos estudos e por sempre pensar no seu futuro mesmo sendo tão nova.


A prioridade nos estudos na idade da Júlia é muito importante e me sinto muito feliz a cada conquista dela mesmo que pequena... e ai como está a dedicação aos estudos?
1

Dicas de saúde para driblar o desconforto respiratório durante os dias de tempo seco

Como o tempo seco domina quase todo o pais, principalmente cidades da região Centro-Oeste. Goiás tem várias cidades em estado de atenção pela baixa umidade relativa do ar. Por isso trouxe algumas dicas de como driblar esse desconforto.

Tempo seco, poluição e a falta de chuva exige cuidado redobrado com o corpo.Tempo seco, poluição e a falta de chuva exige cuidado redobrado com o corpo

A combinação da poluição e falta de chuva contribuem com a redução da umidade do ar, ocasionando problemas de ressecamento das vias respiratórias. Enquanto a chuva não vem, é importante hidratar o nariz as vias respiratórias por dois motivos: para amenizar o desconforto e reduzir as chances de contrair bactérias.

Como a função do nariz é aquecer, umidificar e filtrar o ar inalado para que ocorra, de forma natural e adequada, a troca gasosa no pulmão, quando as condições climáticas não são favoráveis, os riscos das infecções aumentam. “Quanto mais seco o ar, mais o nariz precisa perder água para umidificá-lo e isso resseca a mucosa nasal provocando ardência e formação de crostas”, explica Dra. Maura Neves, otorrinolaringologista do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo (USP). Quando o nariz está ressecado, a probabilidade de fungos e poluentes entrarem no organismo é maior provocando alergias, infecções e resfriados. Outro fator que contribui com as alergias é o uso prolongado do ar-condicionado que reduz a umidade do ar, ressecando o organismo.

Para evitar o ressecamento da mucosa nasal, é recomendado o uso de soluções para lavagem nasal como tratamento preventivo de doenças respiratórias. Tanto para crianças como adultos, a recomendação é higienizar o nariz duas vezes ao dia com solução fisiológica, pois ela é isenta de cloro e outros agentes irritantes. Para facilitar a aplicação, a produto pode ser encontrado no formato de spray nasal.

A especialista alerta para que sempre que houver o sintoma de ressecamento, deve-se incluir a hidratação nasal além da higienização diária. “Nesse caso, as soluções em gel oferecem uma melhor aderência à mucosa nasal, pois não escorrem e criam uma película protetora que impede seu ressecamento e maior sensação de umidificação do que as soluções salinas”, ressalta Dra. Maura.

Durante os dias mais secos, a especialista explica que é importante remover o muco nasal e as impurezas nele retidas com o soro fisiológico antes de aplicar a solução em gel para hidratar a mucosa. O hábito traz tantas vantagens à saúde que poderia ser até uma regra do dia a dia. Portanto, o ideal é hidratar o nariz constantemente e mantê-lo sempre limpo para evitar complicações respiratórias.
E para ajudar nesse cuidado diário aqui.


Aliado na hidratação nasal
Maxidrate_Embalagem
Maxidrate é o único produto criado especificamente para tratar o ressecamento da mucosa nasal devido às condições climáticas de baixas temperaturas ou baixa umidade relativa do ar; condições ambientais como exposição ao ar condicionado além de resfriados e sinusites.  Por ser em gel, ele adere melhor à mucosa criando uma barreira que protege e acelera o processo de recuperação. Pelo mesmo motivo, basta uma aplicação diária. Não contém conservantes e pode ser usado por crianças a partir de 12 anos de idade.




Limpeza antes da hidratação nasal
http://www.onofre.com.br/BACKOFFICE/Uploads/Produto/Normal/169250.jpg
O Salsep® 0,9% (cloreto de sódio 9 mg/mL) é indicado para cuidar da higienização nasal e prevenir infecções respiratórias em crianças acima de quatro anos ou adultos. Livre de conservantes, Salsep® limpa, fluidifica e descongestiona o nariz.  O produto possui uma tecnologia em seu frasco spray que permite mantê-lo estéril do início ao fim, além de ser fácil de aplicar e não provoca sensação de afogamento como os produtos com conta-gotas.






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...